Eu quero um Daqueles..





Eu quero um amor daqueles de filme...
Daqueles que lançam fantasia sobre a tela
E que derramam sonho sobre as poltronas
Daqueles que nos fazem cócegas no peito
E nos deixam sem escolher a próxima palavra

Eu quero um amor daqueles...
Daqueles que surgem como as flores azuis
E sublimam em perfume no ar
Invadindo a lógica, lançando longe a matemática,
Enfeitando os vestidos e as camisas de botão...

Eu quero um amor daqueles...
Daqueles de quem falam os poetas
Daqueles por quem sofrem os amantes
Daqueles de paixão tão exagerada
Que escorrem pelos cantos da alma

Eu quero um amor de aquarela
De cores manchando a imaculada chatice
Dos céticos indecentemente secos
Que borre os cânones das conversas de boteco
e inunde de luz os magistrados

Um amor verde, laranja, rosa e verde
Azul, lilás, amarelo, vermelho e verde
Até preto e verde e verde mas nunca branco.
Só não sujarei de branco esse sonho de amor
indefinidamente colorido, leve, longo e verde

Eu quero um amor de luzes e sons
De cores escandalosas e texturas íntimas
Daqueles quem só se vêem em filmes
Que nos deixam presos na poltrona a saborear
Lágrimas insistentes e doces caindo sobre o sorriso tímido



ÓDIO






Eu vou tomar o meu café amargo
pra me lembrar daquela criatura
que me alimenta um sentimento largo
desengano que não se atura
e se encontrar aquele condenado 
ao ódio meu que no calor apura
eu miro o rosto e dou-lhe supapo 
que nem a virgem mãe de Deus segura




De beber cólera me ponho ébrio
talvez a ingrata solidão me cure
e me afaste desse ponto néscio 
onde ninguém pode achar-se impune
e se a raiva permanece atada
desmantelando esse sujeito puro
enfio faca no umbigo do ego 
e se o ódio não morrer eu cego


Meu Carnaval

Meu passo de frevo
é lento, é rápido
do tamanho da saudade.

E a marcação da Alfaia?
vem descendo, uma por uma
vai subindo, rua por rua
E depois de subir e descer,
peço a bênção do meu Pai
na Sé.
"... Olinda, quero cantar..."

Me empanturro de tapioca,
macaxeira com charque
e pra variar um Cartola,
E vou "Recifar".

Passo pela Agamenon,
Vou no Espinheiro, nas Graças,
na Hora.
Passo na Conde, chego na Aurora,
Duarte Coelho e o Galo a reinar.
Guararapes, Concórdia.
Entro à esquerda, passo ponte...
Rio Branco, Moeda, Apolo e,
no quebra mar,
Brennand, moderno, novo, Antigo...
"...Recife tem encantos mil..."

E a expressão de tudo?
Brota, jorra, cai...
Vivo a eterna vontade,
da lembrança, dos valores,
da saudade.
Vinus Sales (estudou em Nazaré).

Ler é ...

Ler é, apenas, mergulhar em um oceano
de conhecimentos, de culturas.
É superar seu próprio mundo e transgredir
as formas de “conceitos corretos”.

Ler é pular de um penhasco
em chamas e se queimar de idéias, é suportar
nos ombros, muitos outros ombros,
é ter na cabeça, muitas cabeças;
todas em atividade.

É falar com a língua dos outros, é concordar,
discordar e nunca ausentar suas opiniões.

Ler é atrair para si os conhecimentos
sobre tudo o que já foi estudado,
fazendo uso da palavra
como veículo de transmissão.

É se atirar na vida e saber que não
morrerá por engano.
É cavar no próprio peito o poço de informações,
as quais serão utilizadas, principalmente,
quando o sol da vida estiver indicando o meio dia.

Também é ficar em silêncio até que os
livros se calem, para não deixar de ouvir
nenhuma palavra.

É para adquirir intimidade com elas,
saber onde encontra-las quando precisar.

É fugir do monótono
e descobrir a vida.


Eduardo Gomes

show marginal


ei boy, isso tá errado

o que é certo é certo,

eu num minto...


me mantenho sujo pra ganhar um pão

e ainda espero o suco.

Dona Maria sempre me dar comida,

eu num minto...


nem o espelho suportou minha imagem,

e nem fui eu que quebrei, me acusaram injustamente

agora tenho que trabalhar.

trabalhar cansa

eu num minto...


bom mesmo é filosofar,

tem que ter estudo

eu num olho a vida de ninguém,

num quero que olhem a minha.

eu num minto...


opa, 50 centavos...

vou tomar uma caninha,

num me “arrete” não,

eu num minto...


Vomitar a Alma

Sinto lá dentro do peito
Um bolo inconstante
Que me alegra e devora
Que me entristece, sorri e chora...

Nenhum diagnóstico foi detectado
Para descobrir
Que bolo tão macio e duro me corroi...

Preciso dormir à noite...
Preciso acordar o dia...
Preciso beber à tarde...

Esse bolo sobe e desce
Pula-pula,
Ah, que agonia!

Vou por o dedo na goela e
Vomitar essa inconstância
Vou por o dedo na goela e
Vomitar a alma.

ANDALA

Sentir.


Da vida fatigada estive. Estou. Como podemos viver a mercê do que pensam ou falam. Não. Assim não há quem viva. Que possamos viver o hoje lembrando sempre do que somos, sem pensar naquilo que acham que somos. Lembrando que a vida é efêmera, e que passa tão rápido quanto o vento que passa e cega meus olhos em pequenos instantes.
Lembrando que o sol é dádiva e vê-lo nascer é um presente que ganhamos todos os dias, e que ainda há quem feche os olhos para tanto fulgor. Lembrando que o sorriso de uma criança é a perfeita tradução dos sentimentos mais puros e belos presentes em um mundo, onde a desordem e a discórdia a cada dia tomam mais espaço nos corações dos homens.
Lembrando que o dia ta lá fora único, magnífico e brilhante, pronto e te chamando para gozá-lo a cada instante. Que amigos são pequenas estrelas, que aparecem em nossas vidas para brilharem junto a nós, e que aparecem para refletir em nosso sorriso a alegria que faz viver, e q os momentos com eles são os mais belos e incríveis que podemos levar em nossas vidas.
Lembrando que amor existe e está ai, tão belo, tão lindo, grandioso e implacável, com grande fulgor, despertando emoções, não precisando ser entendido, mas tão somente, Sentido.

Cristiane Paixão

Quem você pensa que é

Quem voce pensa que é pra entrar em minha vida assim?
Mora você nem lembra quando eu me perdi ao te encontrar.
 

Quem daqui vai poder me ajudar quando não tiver do lado de lá?
 

Quem daqui vai poder me salvar quando não houver mais cais para ancorar?
E agora tudo ao meu redor roda, roda sem saber onde parar.
minha senhora vou até onde tu moras bater em tua porta e perguntar: quem você pensa que é pra entrar em minha vida assim? Morena minha flor minha pequena saiba que eu so sei te amar.
 

Quem daqui vai poder me ajudar quando não houver cais pra ancorar?
 

Quem daí vai poder te ensinar que não há fronteiras para o amor?
E agora tudo ao meu redor roda, roda sem saber onde parar.
Senhora minha vida se enrola no fio da tua história sem parar.
 

Quem você pensa que é ? 

Lucas Nery

Do(r) Amor

É dor, amor
Sem cor nem flor de cheiro
Que consome e num escolhe nome
Devasta os homi por inteiro

É erva-daninha crescendo, amor
Rasteira...
É seta certeira
No chão
do coração que fermenta

É semente que bota pé, inté
Nos Sertão que arde...

É fogueira, amor,
Queimando forte em Noite Alta...

É de encher o Z'óio d'Água
Dessa alma agreste
Que vagueia solta, enviesada
Nos travéis deste Globo Campestre

PÂMELLA PINTO

Eu queria


Que a saudade não fosse tanta...

Que o eu te amo não entalasse na gargata...

Que eu pudesse gritar...

Como eu queria...

Te olhar nos olhos...

Sentir teu abraço...

Essa dor não precisar suportar...

"Ah! meu bem se o tempo voltasse", diz o poeta , mas todo amante é poeta em sua dor...

Eu queri não ter dito adeus...

Mas como disse...

Queria te arrancar de mim mas como não é possivél!

Eu queria te ter...


Canavial Rubra Beleza

Vermelho?
O canavial esta vermelho
Não porque arde em chamas
No horizonte céu
Recobriu de rubra beleza
Vermelho como eu
Sentimento...
Vermelho como arde em chama
Meu amor, paixão...
O canavial derrama minhas lágrimas
A natureza estonteante
Ainda faz vibrar
Meu peito em dor.

Andala

Fé+licidade

Chega uma hora em que temos que decidir
se o que queremos para si
é viver de amor ou de dor,
com felicidade ou rancor
diante de um fato que nos tocou,
que nos obrigou a pensar,
refletir e até chorar

Uma mágoa, uma cena pequena,
rápida como o vento
sutil como o pensamento
que minha paz veio incomodar

Mas eu quero esquecer
como um tecelão, tecer
as saudades de quando criança
era inocente a minha esperança
era contente a minha lembrança
mas hoje,
posso dizer que sou feliz
quando Deus chega e diz:
CONFIA EM MIM.



Lenilton Junior, 17 de maio.

Atracar

      
       A César Leal

Empresta-me o teu éter
A tua bomba de elisão à dor
Empresta-me o teu sangue
Infectado de poemas bons
O teu terno sujo de luxo
Ao menos na fotografia
Empresta-me o teu sol
Para um novo rei melhor
As tuas cordas e teus metais
Empresta-me as palavras
Os ácidos e os sais
Empresta-me o teu mar
Os sonhos de corsário
Teu objecto de trabalho
Empresta-me o teu chá
E chocolate
Empresta-me o mercúrio
O chumbo e a prata
A data de aniversário 
Os parabéns
Empresta-me tua agenda
O teu mapa, tua senha
E os memorandos também
Empresta-me a tua espada
O canhão, a artilharia
O vinho e as especiarias
Empresta-me tuas mãos e anéis
Tuas linhas do futuro
Tua família, teu único cão
Empresta-me a tua alma
A tua fé.
A
mém.

Marcos D'Moraes  
( Professor, advogado, poeta e músico.)

Olhos Mundanos '



Olhos Brasantes!
Olhos vermelhos!
Se desviam e ninguém percebe
Penetram mundanamente num corpo.
De tão voluptuosos, os olhos,
Sentem a fome que merecem
Clamam pela carne e a textura de um fogo.
Olhos de veias Dionísicas
Retém um pouco de sangue em si,

Personificam
as coisas,
Transformam objetos em homens selvagens e Deusas seminuas
Fazem da brevidade, sua eterna luxúria.
Olhos que não morrem e, intensamente:
Se ABREM
Se CARNE(M)
Se COISA(M)
Se FECHAM...



"quinta-feira, 25 de março de 2010"


Vontade de fazer um mundo em uma folha,
quando uma simples vontade não caberia em mil.
Vontade de não dormir, de apenas viver, sem pensar em mais nada...
Mas o sono vai fechando meus olhos,
meu verso vai empobrecendo...
Não é nem mais verso.
Ficam sendo apenas palavras,
ora rimadas, ora jogadas.
Dez mil milhões de palavras assim.


Ígaro Cardoso.

- Aquecendo o almoço -

depois de parar de usar
desodorante aerosol,

separar pet pro catador,

agora até carne aquece o mundo.


o porco ta com gripe

e o boi desmata o Amazônia


e eu pensando num filé com fritas

o negócio agora é comer galinha

porém, use camisinha
Porque nem o mar ta pra peixe




Julio Melo