Aos que possuem

No lápis, no ato
É com ele que eu vou
Escrevendo sem sair do...
Ato que gosto um tanto
De um tato, me agrado
Até aquele passo que vejo e percebo
Lá no canto, adoro;
Adoro o passo no ato do tato
Uma loucura passada
Do passado estranho alegre
Partindo do ato do comentário "infanto-infeliz"
Seguindo ao fundo
Um fundo bem fundamentado
Para aqueles que têm tato.


Aline Alves

3 Relícários:

  • Anavlis | 6 de março de 2010 17:20

    Muito bom o texto de Aline!

  • ll:::Poeta Sem Futuro:::ll | 12 de março de 2010 02:20

    A simbologia nesse poema chama a atenção: Ato, Tato. A simbologia das palavras é, sem dúvida, uma característica do "ato poético" bem utilizada aqui. E, finalizando, "Aos que possuem" trás o que impressiona quando se aprecia poesia, o silêncio que se acomoda à alma do leitor, ao final. Parabéns, Aline!! Espero apreciar outras obras tão bem "temperadas" de simbologia e o toque especial da poesia quanto esta.

  • Vanderlaine Isidorio | 12 de março de 2010 15:44

    O jogo de palavras deu ao texto um caráter especial.Poucos são os que o sabem fazer desta forma...
    Muito bem, Aline!

Postar um comentário

Participe, Interaja, Despeje-se! ;)