Meu Carnaval

Meu passo de frevo
é lento, é rápido
do tamanho da saudade.

E a marcação da Alfaia?
vem descendo, uma por uma
vai subindo, rua por rua
E depois de subir e descer,
peço a bênção do meu Pai
na Sé.
"... Olinda, quero cantar..."

Me empanturro de tapioca,
macaxeira com charque
e pra variar um Cartola,
E vou "Recifar".

Passo pela Agamenon,
Vou no Espinheiro, nas Graças,
na Hora.
Passo na Conde, chego na Aurora,
Duarte Coelho e o Galo a reinar.
Guararapes, Concórdia.
Entro à esquerda, passo ponte...
Rio Branco, Moeda, Apolo e,
no quebra mar,
Brennand, moderno, novo, Antigo...
"...Recife tem encantos mil..."

E a expressão de tudo?
Brota, jorra, cai...
Vivo a eterna vontade,
da lembrança, dos valores,
da saudade.
Vinus Sales (estudou em Nazaré).